Arquivo da categoria: espirituais

David Quinlan fala sobre saída de Músicos do Ministério PFG

Após muitas especulações e boatos foi oficializado nessa semana o rompimento dos, até então inseparáveis, músicos que acompanhavam o cantor e compositor David Quinlan em seu ministério musical chamado Paixão, Fogo e Glória. A separação não foi pacífica e os lados ainda divergem sobre os porque e declarações.


O Paixão, Fogo e Glória era composto por, além do líder e fundador David Quilnan, o baterista Samuel, o guitarrista Roger, o tecladista Dan e o baixista André, agora David procura novos músicos para integrar o ministério com ele e viajar pelo país e o mundo com o PFG.


Confira, nas palavras do próprio David Quinlan, o que e como aconteceu esse rompimento entre os músicos:

Tudo que está acontecendo é resultado de uma decisão tomada por eles, eles não foram forçados a nada, muito pelo contrário, se fosse por mim tocaríamos juntos até os sessenta, setenta… (vide encarte do CD Liberdade)

A história começa há mais de um ano atrás quando em um determinado vôo pelo Brasil afora, o Samuel (baterista), levanta-se do seu assento, próximo de onde estavam os outros músicos, e se aproxima de mim com a seguinte proposta: “David, o que você pensa da gente (músicos) chamar um outro vocalista e montar uma banda paralela?”. Eu disse: “Não. Este tipo de coisa não funciona – (depois explico).” Ele, então, mudou de assunto e depois voltou para o lugar de onde tinha vindo e ninguém mais mencionou este assunto… comigo.

Alguns meses atrás, após um fim de semana de ministração incrível, uma pessoa do meu escritório me ligou e me direcionou a um site na internet onde se encontravam algumas fotos profissionais com nome e tudo de um novo “ministério” (que depois virou banda) com quatro músicos e um vocalista. Fiquei chocado ao ver que os músicos eram os mesmos que eu tinha em meu ministério. Imagine descobrir algo assim pela internet, especialmente depois da conversa que eu havia tido com o Samuel. O vocalista da banda Khorus (esta banda não tem nada a ver com este assunto – que Deus continue os abençoando) foi trazido do estado do Espírito Santo para estas fotos profissionais serem tiradas em algum ponto de BH, ou seja, acontecimento bem premeditado. Já tinha até mesmo um site (em construção) disponível na internet, fora uma comunidade no Orkut com algumas centenas de membros, ou seja, havia tempo que isto estava acontecendo. Com o passar do tempo até eu recebi em minha caixa de email pessoal links de terceiros para conhecer esta nova banda; diziam:
“Agora é oficial! Com um estilo novo… a banda FREEDOM já cumpre agenda em vários estados brasileiros… Os ex-integrantes do PFG deixaram o ministério apoiados pelo próprio Pr. David Quinlan, que os abençoou e apoiou na nova fase. Aguardem CD em breve…” (email e site de onde esta matéria foi extraída estão arquivados e à disposição).
Imagine o choque! Apoiei e nem sabia.
Boquiaberto, convoquei uma reunião para tentar descobrir o que estava acontecendo. Na ocasião eles me contaram do sonho que possuíam de montar uma banda de rock para tocar músicas mais pesadas.
Sonhar é bom e eu sempre incentivei, mas espera um pouco, se for sonhar e se for capaz, sonhe em montar uma banda do zero e não tomar a minha!!! Não consigo acreditar que numa certa manhã todos acordaram na mesma hora com o mesmo desejo: “Vou montar uma banda de rock pesado”. Eu investi anos da minha vida nestes músicos, os honrei por toda a nação brasileira e também no exterior, financeiramente falando, ofereci o melhor para todos eles (caso não acredite, pergunte a eles o que fizemos por cada um da próxima vez que os encontrar ou escreva perguntando…). Tudo que sempre foi negociado e acordado por ambas as partes foi feito! Mesmo quando faltavam recursos, tirávamos (Bebel e eu) do próprio bolso para dar para eles, tamanha era a importância deles como amigos e parte do ministério; faço isto por qualquer um que esteja comigo. Eu os incentivava e muitos sabem que sempre participavam de muitas produções paralelas. Davam aulas, faziam workshops, vendiam milhas de vôos feitas em função de convites recebidos pelo ministério, acredite, mensalmente, ganhavam bem. Eu sei, que em momento algum reclamaram em sua nota a respeito desta situação, mas em função disto tudo eu esperava um pouco mais de consideração. Apesar deles mesmos colocarem em sua nota que “eram meus funcionários”, eu nunca os vi assim, e sempre os tratei como família.
Em minha opinião, em função de tudo o que fiz e do amor que sempre demonstrei a eles, o mentor deste projeto (ninguém admitiu ser este mentor), caso estivesse insatisfeito com a situação atual ou ministerial, ou se porventura tivesse grandes sonhos para o seu futuro próprio, deveria ter saído do ministério de uma forma honrosa e deixar os demais membros da minha equipe em paz, só que, em vez de fazer isto, minou os demais com idéias, possibilidades, insatisfações e agora queria levar a banda completa. Perder um músico/amigo é difícil, agora perder os quatro de uma só vez…
Durante nossa primeira reunião o Roger e o Dan disseram que o Samuel não tinha informado a eles a respeito da nossa conversa no avião, contudo, o André admitiu ter ouvido esta história do Samuel – inclusive disse que o seu próprio pai (um pastor renomado e abençoado de BH, um homem de Deus que aprendemos a admirar e que nos recebeu maravilhosamente bem quando fomos ministramos em sua igreja) havia sabiamente lhe orientado que era importante me informarem do que estavam fazendo – isto não aconteceu. Samuel também me disse que sempre encorajava os demais rapazes a me informar a respeito de seus planos – isto também nunca aconteceu.
Após a reunião, dei alguns dias (mais de 30) para que pudessem conversar e chegar a um consenso quanto a ficar comigo ou seguir os seus sonhos, ou seja, dentro ou fora. Na primeira reunião eu havia dito que tinha que ser um ou outro. A escolha seria deles. Por que? A gente viaja muito, você sabe disto internauta, sem contar o tempo que cada um tem que dar aos assuntos e situações pessoais – tipo família… Em função disto tudo eles não teriam como honrar os dois compromissos, ou seja, ministério e banda sem falar na família, filho, vida pessoal, outros compromissos…
Mediante a graça de Deus temos recebido muitos convites para ministrar ao redor do Brasil e fora também, sendo que às vezes alguns convites chegam com poucos dias de antecedência, ou seja, mais cedo ou mais tarde haveria conflito de agenda, isto era inevitável. Não daria certo. Não haveria como conciliar todas as responsabilidades, e acredite, eu acabaria sendo pressionado… Para mim não dava, tinha que ser um ou o outro! Deixei isto bem claro.
Após o período estipulado para que eles decidissem, marcamos uma segunda reunião. A princípio a conversa foi bastante light, tudo parecia bem, daí então, o Samuel me disse que eles queriam seguir os seus “próprios” sonhos e dar continuidade ao que tinham iniciado. Fiquei triste, confesso, não esperava por isto, mas tudo bem, tomaram a decisão que queriam e daí para frente estariam fora. Opção deles!
Daí então, expuseram o desejo de serem demitidos por mim para poder receber os direitos que vem com a demissão. Embora este assunto não tivesse sido abordado por mim na reunião anterior (atestado pelo próprio Roger), um dos outros integrantes entendeu que caso quisessem sair, eu os demitiria. Demitir??? O meu desejo pessoal era que ficássemos velhos juntos, jamais desejaria que isto acontecesse. O sonho que eles estavam perseguindo não me incluía, contudo, não iria mentir para mim mesmo e muito menos para o governo demitindo-os, afirmando que este era o meu desejo; não era minha e sim uma escolha pessoal deles. Estava disposto a dar tudo, todos os direitos que possuíam, menos mentir. Com o passar do tempo, em função de tudo que já fiz por eles, teria dado e feito até mais…
Pedi para que tocassem comigo até o final do ano para que eu pudesse montar e treinar uma outra equipe – concordaram. Confesso, que daí para frente não foi fácil pra mim, havia um turbilhão de pensamentos que enchiam minha cabeça; “por que?”, “onde errei?”… Viajamos para Curitiba onde ministramos, repito, não foi fácil.
Nota: o texto sublinhado a seguir se refere e foi extraído da nota de esclarecimento que publicaram em seus sites e orkut’s próprios.
Daqui pra frente a situação se complica. Segundo a nota publicada por eles: “Não existe processo contra ele (David) movido por nenhum de nós quatro (Roger Franco, Dan Marinho, André Davila e Samuel de Oliveira).” Talvez oficialmente falando realmente não exista – não entendo muito desta aérea, mas existe um advogado que se diz representar os quatro ligando para o nosso escritório e agora para o nosso advogado nos acusando de um monte de coisas e pedindo altos valores como indenização para os quatro. Estranho não? Queria expor valores para você ver que a nossa luta realmente não é contra carne ou sangue, mas fui orientado contra. Contudo, enfatizo, eu sempre fiz tudo que foi negociado e acordado por nós, sempre fui transparente. Negociado – Acordado – Feito e ponto final. Por que isto? Onde está a honra de um cristão que quer “sonhar, crescer, e espalhar a palavra de Deus para quem realmente necessita dela”? Não dá para entender e para ser sincero, iniciar uma banda assim com “meias” verdades em “nome de Deus” não é correto; não é isto que a Bíblia ensina.
Após este contato feito pelo advogado deles, (repito, apesar de termos o advogado do Ministério, quem ligou para o escritório foi o advogado dos músicos e depois este já esteve presente na sede do escritório do nosso advogado abordando o que os músicos querem) ficou inviável viajar e ministrar com eles. Não sei quanto a você leitor, mas eu não consigo ser hipócrita… Ministrar como se estivesse tudo bem? Falar sobre paixão e alegria com o coração pesaroso em função de um – nem sei como chamar – “processo, ação, demanda, oferta?” sendo movida por pessoas que estão atrás de você no palco ou na plataforma tocando contigo? Pra mim não dá. Disseram em sua nota que “estavam á minha disposição”. Assim não, desse jeito não…
Após este contato, as acusações e a “petição” por dinheiro as coisas mudaram. Tive que montar uma equipe provisória às pressas – já passei por três nas últimas três semanas – para poder cumprir a minha agenda; imagine o trabalho que isto tem gerado. Tirei as fotos deles da página inicial do meu site e também da página dos integrantes, primeiro por não condizer com a equipe provisória (alguns ainda são provisórios) que está me acompanhando hoje e principalmente para preservar a imagem de todos.
Agora, dizer que “descobriram que não eram mais integrantes pelo site” é forçar a barra! “Comigo ou sem…migo”; “dentro ou fora”; “PFG ou os seus sonhos” foram as minhas palavras; eles optaram por sair, seguir os seus sonhos – foram duas opções, não três! Perguntei a cada um e todos estavam de comum acordo – “Vamos continuar com a nossa banda” disseram. Eu entendi assim: “David, escolhemos a opção dois: estamos fora”. Segundo a postura deles, eles estão insinuando que sairão só se eu os demitir. Você acha esta ação correta? Eu não. É atitude de quem apenas deseja servir o reino de Deus com o seu dom? Creio que não. E como trabalhar com alguém que possui esta mentalidade? Dentro ou fora, não tem entrelinhas; é difícil de entender? Aparentemente, sim.
“Estamos sem receber o salário de novembro (mês trabalhado) e ponto final”. Uma vez que contrataram um advogado para fazer ponte entre eles e nós fizemos o mesmo. Antes do advogado deles entrar em cena tínhamos acabado de pagar uma parte do décimo terceiro (você conhece muitos músicos que ganham o décimo terceiro…, férias? Pois é…). Teríamos pago o salário também, mas agora estamos agindo segundo as orientações do nosso advogado, bem como eles.
Como disse no início, não queria chegar a este ponto, mas já que disseram em sua nota: “Até aqui esta é a única verdade”, preciso confrontá-los e expor a verdade segundo tudo que me foi possível fazer por eles diante de Deus e dos homens e deixar bem claro que tenho todo o material acima mencionado como fotos, sites, orkut, flyers promocionais, testemunhas e “pedidos” do advogado que os representa arquivados e à disposição.
Sei que não deve estar sendo fácil para eles, mas acredite para nós muito menos, e nada justifica o que estão fazendo. Poderia ter sido diferente. Eu gostaria que tivesse sido diferente, mas não foi e não por minha opção.
Enfim, agradeço o apoio de amigos, pastores, ministros, produtores e músicos que estão ligando de vários estados do Brasil todos os dias para nos oferecer apoio, oração e muito mais… É nesta hora que descobrimos os verdadeiros amigos.
Enfim, graças a Deus por Jesus – o Reino de Deus está acima destas coisas – creia!
A situação será resolvida…
Continuamos a jornada para honra e glória do Único que é digno – JESUS!
A aventura continua… e que aventura…
Obrigado pela sua paciência,
Sinceramente,
David M. Quinlan

 
Fontes:
http://musica.gospelmais.com.br/
http://www.voltados.com/noticias.html

APRENDENDO A LIDAR COM AS “PERDAS ESPIRITUAIS

“APRENDENDO A LIDAR COM AS “PERDAS ESPIRITUAIS”

“Quanto a mim, bom é estar junto a Deus; no Senhor Deus ponho o meu refúgio, para proclamar todos os seus feitos” – Salmo 73:28.

Este, em minha opinião, é um dos versículos mais preciosos da Bíblia! Daqueles que precisamos decorar e repassar na mente, para jamais esquecer! Mas existem momentos na vida cristã, em que estamos muito mal e não fazemos uso dele.

Os problemas são tantos, as situações são tão desgastantes, que somos tentados a achar que NEM DEUS pode resolvê-las. Nosso “stress” é tão grande, que NÃO QUEREMOS estar junto a Deus, nem fazer dEle o nosso refúgio e MUITO MENOS pregar aos outros os feitos do Senhor, como diz o texto.

As origens dos abalos que sofremos, podem ser absolutamente humanas, mas nossa vida espiritual acaba sendo afetada. Sentimos que, como planta sem água, estamos ficando cada dia mais SECOS. E quando nos isolamos do Senhor, acumulamos PERDAS ESPIRITUAIS.

Alguns exemplos de perdas espirituais são: enfraquecimento na fé; fortalecimento de um espírito crítico contra os irmãos em Cristo; incapacidade de reconhecer os próprios erros; a raiz de amargura; desconfiança de que as promessas bíblicas sejam verdadeiras e possam ser realizadas; ao invés de termos a Deus como SOLUÇÃO dos problemas da vida, passamos a criticá-lO e culpá-lO por todo o mal que nos acontece.
A passagem bíblica acima, foi escrita por Asafe e representa o “final feliz” de um drama, relatado através do Salmo 73. Ele viveu uma crise pessoal e sem perceber cultivou suas perdas espirituais. Entretanto voltou-se para Deus, que amorosamente o acolheu. O salmista confessa que passou por momentos tão terríveis, que quase saiu do caminho dos que agem corretamente, para agir como os que vivem “mergulhados” na prática de coisas erradas.
A Palavra de Deus é maravilhosa, por mostrar a verdade nua e crua, pela qual passam seus escritores. Alguns deles descrevem momentos de “vitórias e triunfos” (p. ex.: Moisés libertando o povo das mãos do Faraó), mas outros passam por “abismos e derrotas” fantásticas (p. ex.: Davi e seu pecado com Bate-Seba), ainda que se arrependam e voltem à prática do que é certo !
O Criador quis que fossem registradas, tanto as experiências alegres, quanto as frustrantes. A verdade do que aconteceu, sem encobrir, sem esconder, sem dar a falsa idéia de que “os servos do Senhor não passam por problemas”. O testemunho dos escritores bíblicos, tem a função de comunicar que “a Graça do Senhor está disponível”, a seres humanos falhos e imperfeitos como nós.
É muito bom saber que mesmo sendo falhos, o Senhor se interessa por nós ! A Bíblia não foi escrita para quem se acha “perfeito e sem problemas”, pois foi o próprio Jesus que afirmou : “os sãos não precisam de médico”. Quem se acha tão bom, não caiu na realidade de que “TODOS carecem da Glória de Deus” !

QUAL FOI O PROBLEMA DE ASAFE?

Pode ser que você, em algum momento de sua vida, já tenha se identificado com o problema de Asafe. Ele estava furioso, por perceber que os ímpios (aqueles que não andam como Deus quer) tinham sucesso e prosperidade ; por sua vez, os que tinham coração puro (os que fazem a vontade do Senhor) acabavam sofrendo diariamente.

A descrição que Asafe faz destas pessoas ímpias é bem detalhada e creio que se aplicaria a muitas pessoas, nos dias de hoje. Eles eram :

Arrogantes (v. 3) – pessoas insolentes, atrevidas, que usam num mal sentido o orgulho e a altivez.

Soberbos (v. 6) – presunçosos, pois agiam como se estivessem sempre “acima dos mortais”.

Violentos (v. 6) – usavam a força, a coerção, o constrangimento físico e moral, a grosseiria, como prática normal de seu dia-a-dia (no trabalho, com a família etc). A passagem menciona “vestir-se com a violência”.

Maliciosos (v. 7, – pessoas de má índole, astutas, manhosas, que usavam de esperteza, para enganar os outros e levar vantagem.

Opressores (v. – causavam prostração, humilhação, coagindo, forçando outras pessoas para que fizessem o lhes interessava, de forma impositiva e ditatorial.

Maldizentes (v. 9) – isto é, amaldiçoavam, praguejavam, blasfemavam, ultrajavam tanto a Deus, quanto aos homens.

Apesar destas “qualidades”, sabem que RESULTADOS eles estavam conseguindo? Veja: não tinham tantas preocupações (v. 4) ; tinham corpos sadios (v. 4) ; não se cansavam por trabalhar demais, como as outras pessoas (v. 5) ; o povo em geral, sentia inveja e queria ser como eles (v. 10) ; acreditavam que poderiam enganar até mesmo a Deus (v. 11) ; despreocupados, continuavam aumentando a sua riqueza (v. 12).

O SENTIMENTO DE ASAFE

O que lemos acima é revoltante, não é mesmo? Creio que eu e você poderíamos ter reações parecidas com as de Asafe. Os vs. 13 a 16 mostram todo o seu desânimo e desapontamento :

“Será que foi à toa que eu me esforcei para não pecar e permanecer puro ? Vejam qual foi o resultado : sofrimento e problemas durante toda a vida ! Se eu tivesse realmente dito essas coisas, seria um traidor do povo de Deus. Mas realmente é muito difícil entender esse fato – o sucesso de pessoas que desprezam a Deus !” (Bíblia Viva).

Talvez possamos interpretar as dúvidas do salmista : “Será que eu PERDI meu tempo, confiando em Deus ?”, “Será que fui um IDIOTA, agindo corretamente durante toda a minha vida ?”, “O que eu ganhei obedecendo ao Senhor ?”, “Será que gastei minha vida INUTILMENTE andando nos caminhos de Deus ?”.

Asafe era reconhecido como um homem dedicado à adoração ao Senhor. O próprio Davi o tornou chefe do grupo que liderava o louvor (1Cr 16:4-5). Foi reconhecido até como vidente (2Cr 29:30). Sua vida tinha se tornado exemplo até para seus filhos, que seguiram seus passos e também se tornaram líderes na adoração (1Cr 25:1-2). Apesar de toda esta “folha corrida” de bons serviços prestados, aquelas dúvidas atormentaram até mesmo a este homem de Deus !

O salmista confessa que não podia nem mencionar estas dúvidas, pois temia ser mal interpretado, considerado um traidor ou herege, no meio de sua comunidade. Pressionado, ele só vê uma saída: CORRER PARA PERTO DE DEUS ! (v. 17 “até que entrei no santuário de Deus, e compreendi o destino dos ímpios”). Na presença do Senhor, ele honestamente ABRE O SEU CORAÇÃO e derrama todas as suas indignações e queixas !

Através dos versículos que se seguem e pela atitude demonstrada por Asafe em todo o Salmo, percebemos que ao entrar na presença de Deus, o Senhor lhe dá uma nova visão sobre o problema, sobre si mesmo e sobre deus.

UMA NOVA VISÃO SOBRE O PROBLEMA

Os vs. 18 a 20, mostram que o Senhor tranqüiliza ao salmista, quando mostra que O PECADO NÃO FICARÁ IMPUNE. Deus fará isso, porque Ele é JUSTO !
“Certamente os pões em terreno escorregadio e os fazes cair na ruína. Como são destruídos de repente, completamente tomados de pavor ! São como um sonho que se vai quando acordamos; quando te levantares Senhor, tu os farás desaparecer ” (NVI).

Inúmeras são as passagens, através de toda a Bíblia, em que o Senhor garante o Seu carinho pelos justos e o Seu desprezo pelos que insistem em promover o mal. Mas uma delas se destaca : 1Pe 3:12 – “Porque os olhos do Senhor repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas, mas o rosto do Senhor ESTÁ CONTRA aqueles que praticam males”.

A nova visão sobre o problema, que Deus dá a Asafe, mostra que:

TUDO o que os ímpios fazem, está sendo observado por Ele. Ninguém pode enganá-lO !

O Senhor não permitirá que o pecado fique impune, por causa da SUA JUSTIÇA.

A punição de Deus, virá quando nem os ímpios e nem os justos esperarem. Será de repente e quando Ele achar que é o tempo certo!

Como acontece em terrenos escorregadios, os ímpios vão TENTAR, mas não vão conseguir ficar em pé !

Ficarão apavorados e aterrorizados, com o castigo de Deus.

Os ímpios se acham tão poderosos, mas Deus se livrará deles TÃO FACILMENTE, quanto acordar de um sonho.

UMA NOVA VISÃO SOBRE SI MESMO

É bem provável, que o salmista tivesse um conceito próprio bem elevado. Afinal era um líder, reconhecido em sua área de atuação, como um dos melhores que existia. Sendo esta área a de “Adoração a Deus”, pode ter avaliado que entrar na presença do Senhor, mais uma vez, não lhe traria tantas novidades. Que engano ! Deus lhe daria uma nova visão sobre si mesmo !

Ao entrar na presença de Deus, Asafe encarou sua própria vida e achou-se em falta diante do Senhor. Os vs. 21 e 22, 2 e 3 revelam um pouco do que ele viu :

“Quando meu coração ficou revoltado contra Deus, as minhas emoções entraram em guerra dentro de mim; agi como um irresponsável, como um louco ignorante diante de Ti. (…) Eu quase tropecei e caí. Por pouco abandonei o caminho certo. Meu problema é que eu tinha inveja dos orgulhosos, vendo o sucesso e a felicidade dos maus” (Bíblia Viva).

Nesta nova visão sobre si mesmo, Deus revela que :

Não adianta reclamar do erro dos outros, sem antes sondar e reavaliar suas próprias atitudes.

Seu afastamento do Senhor, estava lhe causando um retrocesso como ser humano e como servo de Deus.

A decepção foi muito grande! Nem ele mesmo acreditava, que conseguiria agir de forma tão baixa, ao tornar-se um INVEJOSO dos que praticam o mal. Achou-se : IRRESPONSÁVEL, LOUCO e IGNORANTE. Algumas traduções usam as palavras INSENSATO, EMBRUTECIDO e IRRACIONAL (isso mesmo : um animal irracional !).

O objetivo de Deus, ao mostrar como estava o seu coração, não era “esmagar Asafe, por ser tão pecador”. O Senhor quis promover a oportunidade de ARREPENDIMENTO e RECONCILIAÇÃO com Ele. Este não é um privilégio oferecido apenas ao salmista : Deus sabe do potencial de seus filhos (até dos que caem) e anseia pela reconciliação com Ele. 1Jo 1:9 – “Se confessarmos os nossos pecados, Ele (Deus) é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça.”

UMA NOVA VISÃO SOBRE DEUS

Ao entrar na presença do Senhor, Asafe começou a ter uma nova visão sobre Ele. Quem sabe o salmista já conhecesse a Deus, mas apenas de maneira litúrgica ou formal. O Criador quer ser íntimo daqueles que O temem (Sl 25:14 – “A intimidade do Senhor é para os que o temem, aos quais ele dará a conhecer a sua aliança”).

Foi assim que Asafe começou a desfrutar da CERTEZA de que o Deus é bom, é fiel e manifesta amor, mesmo quando não percebemos isso ! Passou a RECONHECER que o Senhor esteve com ele, nos bons e nos maus momentos de sua vida. Convenceu-se de que não há NADA e NINGUÉM mais precioso que o Senhor !

“E apesar de tudo isso, Tu estavas sempre a meu lado, segurando bem firme a minha mão direita. Tu me guiarás com a tua sabedoria durante esta vida e depois me receberás ao teu lado, na glória. Quem mais, além de Ti, eu posso considerar como Deus ? Ninguém ! Aqui na terra, o que eu mais desejo é a tua presença. Minha saúde pode acabar, meu coração ficar doente, mas Deus é a fortaleza do meu coração. Ele é a minha eterna riqueza !” (Sl 73:23-26 – Bíblia Viva).

E foi neste contexto, em que o autor declarou : “Quanto a mim, bom é estar junto a Deus; no Senhor Deus ponho o meu refúgio, para proclamar todos os seus feitos” – Sl 73:28.

E você, como está ? Sente-se sente SECO espiritualmente, como planta sem água ? Está acumulando ou cultivando suas próprias PERDAS ESPIRITUAIS ? Já é hora de mudar ! Faça como Asafe : CORRA PARA DEUS ! Entre na presença do Senhor, AGORA MESMO ! Ele vai acolhê-lo, cuidar dos seus temores e lhe dar UMA NOVA VISÃO sobre seus problemas, mostrando o caminho a seguir, sobre si mesmo para que você perceba o que precisa mudar e sobre Deus para que, ao conhecê-lO profundamente, não esqueça que Ele é a SOLUÇÃO e jamais o problema !

Chega de PERDAS! Desfrute das bençãos daqueles que são íntimos de Deus!

Publicado no site de Sérgio e Magali Leoto (http://www2.uol.com.br/bibliaworld/smleoto/workshop/lid030.htm)

Extraído do Site: http://www.ebdweb.com.br/

%d blogueiros gostam disto: