Arquivo mensal: julho 2012

Férias com Jesus! Ah, que bom!

Imagem

Ah, que bom! Neste mês de julho de 2012, parei um pouquinho par sair com minha esposa, curtir um tempo juntos, conhecermos lugares e pessoas. Que tempo bom! Sem a agonia e corre-corre do dia mas, apenas com praia, sol e água, muita água!

Pudemos, durante este tempo, conhecer numa distinta ilha de Belém, um simpática senhora, dona de uma pousada e amistosa demais. Conhecemo-na de maneira simples e bastante comunicativa. Ah, esse tempo nesta ilha foi tão bom pra descansar e até arriscamos dormir numa rede fora da casa onde estávamos. Que frio! A noite realmente estava bem legal, no friozinho dormindo com minha “costela” hehehhe.

Minha esposa, Rocivana, é bem aventureira como eu. Gostamos de viver intensamente nossos dias de juventude, amando, brincando, fazendo amizades, e vivendo a vida boa que nosso bom Senhor nos deu.!

Mas, durante nosso tempo naquele lugar, lendo alguns “posts” de amigos, acabei encontrando um que me chamara a atenção, devido ao título de férias com Jesus. vale a pena ler.

Deus abençoe vcs e curtam nossa page do Ministério Voltados Para Ti no Face: http://www.facebook.com/ministeriovoltadosparati e nos adicionem na Página do MVT também e fique sabendo das últimas novidades do Voltados.com no Facebook: http://www.facebook.com/voltadosparati. Abração!

MAC

Férias para Jesus, com Jesus ou sem Jesus?

Deus, que bom, não tira férias. Poderoso e invencível, não se cansa, não se fadiga, não cochila, não vacila, não adoece, não envelhece, não se esgota. Por isso Ele é o nosso pastor do Salmo 23 e, uma vez nEle, de nada temos falta.

E quanto a nós? Sem exceção, precisamos de férias. Nossas energias e reflexos são limitados, sempre que estão próximos de acabar, clamam por descanso. Deus, desde a criação, antes de qualquer ameaça de pecado, nos presenteou com o necessário princípio do descanso. Entre os evangélicos, pelo menos três tipos de férias se tornaram constantes.

Vale a pena refletirmos

Férias para Jesus. Com nobre objetivo, muitos dedicam suas férias para trabalhar em algum campo missionário ou em projetos semelhantes, sempre com o foco de difundir o evangelho. Tais atividades podem acontecer aqui ou no exterior. Alguns anos atrás, lembro de ter recebido um e-mail com o seguinte pedido: Pastor, ore por mim, pois vou dedicar estas férias para Jesus, vou trabalhar todo o período no país tal, com a igreja tal, ore por mim, obrigada. Li, dobrei os joelhos e orei. Um bom texto para inspirar as Férias para Jesus seria o de Mateus 6.33: Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Imagem

Férias com Jesus. Igualmente nobre. Deveria ser a prática e o desejo de todo cristão. Férias com a família, os amigos, os parentes. Na praia, no campo, no navio, no ônibus, no avião, na simples pensão, no belo hotel ou na casa de queridos. Não importa qual seja o estilo e o modelo, o que importa é a firme consciência de que Jesus está junto nas férias. Quero ir, quero conhecer pessoas e lugares, quero realizar sonhos, mas só se for com Jesus. Um bom versículo para nos fazer pensar na importância de sempre reconhecer a presença de Jesus, seria I Coríntios 10.12: Aquele pois que cuida estar em pé, olhe não caia.

Férias sem Jesus. Aqui se instala a sutileza do perigo. Inicialmente, nenhum cristão planeja tirar férias sem Jesus, algo como deixá-lo propositalmente de lado. Os ideais do coração querem oferecer férias para e com Jesus. O problema é que Jesus é invisível e os encantos das novas pessoas e novos lugares são bem visíveis, perigosamente visíveis. Enchem os olhos e seduzem os corações. Assim, sem que se perceba, boas intenções de férias para e com Jesus, transformam-se em férias sem Jesus. Cuidado, o texto que pode se encaixar aqui deveria piscar como luzes de alerta todos os dias diante dos olhos da nossa alma, são os versículos 23 e 24 do Salmo 139: Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; e vê se há em mim algum caminho mal, e guia-me pelo caminho eterno.Imagem

Lembra do e-mail que citei acima, das Férias para Jesus? Pois é, foi lá, em terra estranha, longe da segurança simples da família e da igreja, que aquela irmã solteira junto com um pastor casado traíram muito mais do que a confiança dos seus, traíram o Jesus para o qual tinham a intenção de ofertar suas férias. As férias para e com, tristemente se tornaram férias sem Jesus. Casos assim confirmam uma doída verdade: as férias terminam, mas os problemas causados pelos pecados persistem, deixam marcas, feridas, traumas.

Jesus perdoa aquele que sinceramente se arrepende? Evidente que sim. Renova? Sim. Dá novas chances? Sim, sim e sim. O dilema são os processos carregados de dramas existenciais, culpas, pesos e fardos que sistematicamente acusam, intensificando a vergonha e a humilhação. Por favor, entenda, férias sem Jesus nos colocam em lutas pessoais e internas, embora queiramos transferir a culpa para organizações, pessoas, esquemas, enfim, para os outros, no final, cedo ou tarde, o reconhecimento chega, quando acabamos por admitir que a enorme parcela da responsabilidade por sofrimentos e perdas é nossa. Para clarear a mente, olhemos para Davi. Foi perdoado? Foi. Os dilemas da vida arrasada pelos próprios pecados, no entanto, ficaram registrados em cada dor e etapa dos processos de cura que se seguiram.

Toda vez que saímos de férias, minha esposa fica uns vinte minutos angustiada no carro, tentando lembrar o que esquecemos em casa. Até que ela lembre o que foi, a angústia não passa. As vezes é uma escova, um carregador de celular, uma blusa, essas coisas. E sempre, acredite, alguma coisa a gente esquece. Jesus não é coisa, amuleto, objeto, guru. Ele é Deus, Senhor e Salvador. Jamais pode ser esquecido por aqueles que confessam o seu nome. Lembre-se: Férias para e com Jesus, sempre. Férias sem Jesus, nunca.

pr. Edmilson Mendes
%d blogueiros gostam disto: