REDES SEM VIDA, MONOTONIA LITÚRGICA.

REDES SEM VIDA, MONOTONIA

LITÚRGICA.

 

O principal fruto que as igrejas legalistas tem conseguido é magoar as ovelhas e fazer crescer ainda mais o número de desviados

A juventude contemporânea que assiste na TV as ofertas inovadoras, o marketing das tentações e não se cansa de novidades num
ritmo acelerado, dificilmente se concentra com atenção nos cultos repetitivos de algumas igrejas em todo o mundo. A liturgia eclesiástica em sua essência, quando não busca um excesso de espiritualidade sem coordenação, sem orientação bíblica, só encontra regozijo quando
vem um pregador de fora com testemunho estravagante como do tipo “já matei mais de mil”, Ou Fernadinho ou outro qualquer, nada contra, até porque é benção, e fora isso tudo, a igreja, ou seja aqueles que ainda acreditam que ao vir para igreja irão encontrar um circo ou espetáculo voltam se arrastando aos seus Domingos eternos. Talvez por não haverem tido um encontro de verdade com o Mestre. 

Que Deus esteja presente nos cultos, não restam dúvidas. “Onde estiverem dois ou mais…” Prova disso são almas que, pela
infinita misericórdia e clamor dos santos, se convertem em algumas reuniões. A questão em evidência não trata do fato de Deus estar presente ou não,
mas do que poderíamos oferecer de melhor para o nosso Deus. Você está fazendo sua parte ou está apenas criticando em cima do muro? Cabe a nós não deixar o peixe fugir da rede. Isso é responsabilidade da eklésia. “O que ganha
almas sábio é”. (Provérbios 11:30).  Lembrando que temos 4 pilares na visão que são: GANHAR, CONSOLIDAR, TREINAR E ENVIAR. Será que cumprimos isso mesmo?!!! Por que se dissermos que sim, e se avaliarmos isso mesmo estamos encrencados com Deus por que fazemos um serviço relaxado demais. Quantidade não é Qualidade! Mas, Qualidade atrai uma grande Quantidade! Muitas são as igreja na Grande Belém que têm suas redes: Rede da Juventude, Rede Juvenil, Rede de Empresários, Rede de Adolescentes, de Mulheres, de Homens, de Casais e assim vai e que precisam rever o real valor de realizá-las.

A comunidade evangélica tem seu nítido objetivo de ganhar as almas que estão perdidas no mundo para a igreja, mas, em alguns
casos, parece não haver muito incentivo para mantê-las na igreja. No evangelismo pessoal ficamos perplexos ao entregarmos a
maioria de nossos folhetos nas mãos de pessoas que já foram cristãs. Cada um explica-se em mágoas com líderes, mau
entendidos, etc. Lá um ou outro desviou-se por nada, quando há um, por demais, é raro. A maioria contesta a maneira como o
pastor lhe abordou, discussões por problemas externos, burocráticos, ou até mesmo eclesiásticos. A igreja parece viver um
momento de cada um por si e Deus por todos! Parece quen o amor, ingrediente indispensável em qualquer convivência, não transmite mais o
seu calor no meio de muitos evangélicos (cristãos?). Vive-se muito em prol de si mesmo. As covenções e reuniões de portas fechadas perderam o amor ágape, elo primordial da unidade cristã.

O irmão caído dificilmente é procurado para uma ajuda, um conselho. É bem mais fácil “dedurá-lo” ao pastor. Essas atitudes são tomadas pelos santões, puritanos, que reservam em segredo seus pecados ocultos.
Atitudes essas que jogam centenas de almas no mundo diariamente. O povo de Deus parece ser o único exército que mata os seus feridos. “O irmão ofendido é mais difícil de conquistar que uma cidade forte”. (Provérbios 18:19).

A arcaica e pobre motivação da igreja sem visão de águia, sem a visão de ganhar, consolidar, treinar e enviar limita-se aos congressos. Numa contestação parece ser mais fácil para o pastor se ver livre do caso atribuindo ao irmão
a tirania da provação, e que “depois isso passa!” Nota: Nessa provação filhos de pastores não passam!!!. Problemas que envolvem os poderosos chefões são caso para reuniões à portas fechadas.

Deveria se prestar mais cuidado aos jovens, incentivando, não só com palavras, mas com atitudes. Não somente com cobranças de
“doutrinas” de roupas, o que é obra do Espírito Santo. E o mais interessante nessas doutrinas é que implica na salvação até o
pastor liberar. Por exêmplo, até uns trinta anos atrás, algumas igrejas proibiam ter televisão; ouvir rádio; beber coca-cola; mascar chiclete; usar perfume; mulher não podia andar de bicicleta; mulher não podia ser vista conversando com homem algum; o casal de
namorado não podia andar nem de mãos dadas! Calça jeans era sinal de fraqueza e a pessoa estava prestes a sair da igreja.
E além do paletó e a gravata, tinha que usar um chapéu! Agora pergunto: Onde foram parar estas doutrinas? Não havia revelações e avisos veementes?! Hoje, nessas igrejas, os problemas são outros, menores, mas não deixam de ser problemas.
Ainda há preconceitos a outras denominações. Se numa família de cristãos onde maioria pertence a uma igreja legalista, alguém se converte numa outra denominação, há um certo desprezo, e o único elogio e incentivo que recebe é “pelo menos ele não está no mundo…”,
como se a igreja legalista fosse a mais poderosa!

“Se, pois, estais mortos com Cristo quanto aos rudimentos do mundo, por que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivêsseis no mundo, tais como: não toques, não proves, não manuseies? As quais coisas todas perecem pelo uso, segundo os
preceitos e doutrinas dos homens; as quais tem, na verdade, alguma aparência de sabedoria, em devoção voluntária, humildade,
e em disciplina do corpo, mas não são de valor algum senão para a satisfação da carne.” (Colossenses 2: 20-23). A palavra de Deus fala claro. Mas é tão claro que ao ler essas passagens na igreja não precisa nem dizer a que se refere pois fala direto ao assunto
em pauta. A maioria desses líderes jogam um fardo na ovelha. A bíblia nos adverte: “Fostes comprados por bom preço, não vos façais servos dos homens”.
( 1 Coríntios 7: 23). E há em toda bíblia muitas exortações para não sermos levados por qualquer vento de doutrina.

O amor ao próximo é mais do que uma obrigação da igreja, é a prova de que realmente se pertence a Deus: “Nisto todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros”. (João 13:35). Não se diz nada em toda a bíblia que se
atendam seus interesses. Nem todos são considerados dignos, nem todos são aceitos. Pelo contrário, reservam seus elogios e admiração para alguns poucos escolhidos que foram abençoados com características que consideram de alto valor (leia-se dinheiro). É um sistema perverso.

E ainda há os que, sem conhecimento algum da bíblia, vociferam frases conhecidas, do tipo: “Não toqueis nos meus ungidos…Cuidado irmãos, não vamos falar do pastor, é pecado!” Claramente esses casos são o medo de se descobrir o pecado de
alguns homens de púlpito, e a frase amedronta até quem tem a verdade para falar. Falar a verdade nunca foi pecado. Nem a bíblia
escondeu o pecado de Davi! Então a bíblia está escandalizando Davi?! Quando a bíblia fala de “ungidos” refere-se à reis e príncipes da antiga lei. Nada ali se refere à pastores! Caso contrário, Jeremias estaria cometendo um pecado terrível ao afirmar: “Ai dos pastores que dispersam as minhas ovelhas”. (Jer. 23:1).
Ali sim, está bem claro aos pastores. Por que quase ninguém prega sobre isso na igreja? É a palavra de Deus??? Ou não? Ou as passagens do velho testamento só servem para falar do dízimo?
Ah, sim, o dízimo pode ser ao pé da letra…Não precisa de definições do hebraico, nem que significa outra coisa não. É dízimo mesmo e acabou!

Depois de Atos 2, da descida do Espírito Santo, todos nós nos tornamos ungidos de Deus. Não há mais acepção de pessoas.
“E vós tendes a unção do santo”. (1 João 2:20). É por isso que há um grande número de desviados da igreja. Colocam um líder na posição de ungido especial e coisa e tal, e quando o escândalo estoura na mídia, cai no descrédito.
Que a igreja do Senhor Jesus neste próximo milênio tenha mais amor ao seu próximo. 

Com igreja, estamos fazendo a nossa parte em Icoaraci, liberando os céus através de oração e jejum. Como Igreja, estamos tentando unir todas as igrejas evangélicas num só propósito em nossa Belém. Como igreja nominalmente falando e como corpo, estamos na visão de ganhar, consolidar, treinar e enviar em Icoaraci e em Belém. A PIBI de Icoaraci trabalha para que o Amor ágape de Deus permeie toda nossa cidade alcançando vidas no poder de Deus e transformando almas para a glória de Deus clamando ao Senhor para que barreiras e diferenças entre igrejas e instituiçoes eclesiásticas sejam quebradas e anuladas através do Amor.

Nilson Marcos

Servo

Sobre Nilson MAC Ribeiro

Eu amo Jesus! Eu e minha casa serviremos ao Senhor!

Publicado em maio 30, 2008, em Jovens, Redes e marcado como , , , , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: