Férias com Jesus! Ah, que bom!

Imagem

Ah, que bom! Neste mês de julho de 2012, parei um pouquinho par sair com minha esposa, curtir um tempo juntos, conhecermos lugares e pessoas. Que tempo bom! Sem a agonia e corre-corre do dia mas, apenas com praia, sol e água, muita água!

Pudemos, durante este tempo, conhecer numa distinta ilha de Belém, um simpática senhora, dona de uma pousada e amistosa demais. Conhecemo-na de maneira simples e bastante comunicativa. Ah, esse tempo nesta ilha foi tão bom pra descansar e até arriscamos dormir numa rede fora da casa onde estávamos. Que frio! A noite realmente estava bem legal, no friozinho dormindo com minha “costela” hehehhe.

Minha esposa, Rocivana, é bem aventureira como eu. Gostamos de viver intensamente nossos dias de juventude, amando, brincando, fazendo amizades, e vivendo a vida boa que nosso bom Senhor nos deu.!

Mas, durante nosso tempo naquele lugar, lendo alguns “posts” de amigos, acabei encontrando um que me chamara a atenção, devido ao título de férias com Jesus. vale a pena ler.

Deus abençoe vcs e curtam nossa page do Ministério Voltados Para Ti no Face: http://www.facebook.com/ministeriovoltadosparati e nos adicionem na Página do MVT também e fique sabendo das últimas novidades do Voltados.com no Facebook: http://www.facebook.com/voltadosparati. Abração!

MAC

Férias para Jesus, com Jesus ou sem Jesus?

Deus, que bom, não tira férias. Poderoso e invencível, não se cansa, não se fadiga, não cochila, não vacila, não adoece, não envelhece, não se esgota. Por isso Ele é o nosso pastor do Salmo 23 e, uma vez nEle, de nada temos falta.

E quanto a nós? Sem exceção, precisamos de férias. Nossas energias e reflexos são limitados, sempre que estão próximos de acabar, clamam por descanso. Deus, desde a criação, antes de qualquer ameaça de pecado, nos presenteou com o necessário princípio do descanso. Entre os evangélicos, pelo menos três tipos de férias se tornaram constantes.

Vale a pena refletirmos

Férias para Jesus. Com nobre objetivo, muitos dedicam suas férias para trabalhar em algum campo missionário ou em projetos semelhantes, sempre com o foco de difundir o evangelho. Tais atividades podem acontecer aqui ou no exterior. Alguns anos atrás, lembro de ter recebido um e-mail com o seguinte pedido: Pastor, ore por mim, pois vou dedicar estas férias para Jesus, vou trabalhar todo o período no país tal, com a igreja tal, ore por mim, obrigada. Li, dobrei os joelhos e orei. Um bom texto para inspirar as Férias para Jesus seria o de Mateus 6.33: Buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.
Imagem

Férias com Jesus. Igualmente nobre. Deveria ser a prática e o desejo de todo cristão. Férias com a família, os amigos, os parentes. Na praia, no campo, no navio, no ônibus, no avião, na simples pensão, no belo hotel ou na casa de queridos. Não importa qual seja o estilo e o modelo, o que importa é a firme consciência de que Jesus está junto nas férias. Quero ir, quero conhecer pessoas e lugares, quero realizar sonhos, mas só se for com Jesus. Um bom versículo para nos fazer pensar na importância de sempre reconhecer a presença de Jesus, seria I Coríntios 10.12: Aquele pois que cuida estar em pé, olhe não caia.

Férias sem Jesus. Aqui se instala a sutileza do perigo. Inicialmente, nenhum cristão planeja tirar férias sem Jesus, algo como deixá-lo propositalmente de lado. Os ideais do coração querem oferecer férias para e com Jesus. O problema é que Jesus é invisível e os encantos das novas pessoas e novos lugares são bem visíveis, perigosamente visíveis. Enchem os olhos e seduzem os corações. Assim, sem que se perceba, boas intenções de férias para e com Jesus, transformam-se em férias sem Jesus. Cuidado, o texto que pode se encaixar aqui deveria piscar como luzes de alerta todos os dias diante dos olhos da nossa alma, são os versículos 23 e 24 do Salmo 139: Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos; e vê se há em mim algum caminho mal, e guia-me pelo caminho eterno.Imagem

Lembra do e-mail que citei acima, das Férias para Jesus? Pois é, foi lá, em terra estranha, longe da segurança simples da família e da igreja, que aquela irmã solteira junto com um pastor casado traíram muito mais do que a confiança dos seus, traíram o Jesus para o qual tinham a intenção de ofertar suas férias. As férias para e com, tristemente se tornaram férias sem Jesus. Casos assim confirmam uma doída verdade: as férias terminam, mas os problemas causados pelos pecados persistem, deixam marcas, feridas, traumas.

Jesus perdoa aquele que sinceramente se arrepende? Evidente que sim. Renova? Sim. Dá novas chances? Sim, sim e sim. O dilema são os processos carregados de dramas existenciais, culpas, pesos e fardos que sistematicamente acusam, intensificando a vergonha e a humilhação. Por favor, entenda, férias sem Jesus nos colocam em lutas pessoais e internas, embora queiramos transferir a culpa para organizações, pessoas, esquemas, enfim, para os outros, no final, cedo ou tarde, o reconhecimento chega, quando acabamos por admitir que a enorme parcela da responsabilidade por sofrimentos e perdas é nossa. Para clarear a mente, olhemos para Davi. Foi perdoado? Foi. Os dilemas da vida arrasada pelos próprios pecados, no entanto, ficaram registrados em cada dor e etapa dos processos de cura que se seguiram.

Toda vez que saímos de férias, minha esposa fica uns vinte minutos angustiada no carro, tentando lembrar o que esquecemos em casa. Até que ela lembre o que foi, a angústia não passa. As vezes é uma escova, um carregador de celular, uma blusa, essas coisas. E sempre, acredite, alguma coisa a gente esquece. Jesus não é coisa, amuleto, objeto, guru. Ele é Deus, Senhor e Salvador. Jamais pode ser esquecido por aqueles que confessam o seu nome. Lembre-se: Férias para e com Jesus, sempre. Férias sem Jesus, nunca.

pr. Edmilson Mendes

ORE PELA INDIA! PRAY FOR INDIA!

“Porque não temos que lutar contra carne e sangue, mas sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Efésios 6:12).

Sua oração pode ser um investimento eterno!

Oração é o único meio adequado para multiplicar nossos esforços rápido o suficiente para ceifar a colheita que Deus deseja…

Talvez nos falte qualidades especiais ou treinamento. Mas nós podemos sempre trabalhar com Deus através da oração… Oração é a maneira suprema de sermos trabalhadores juntos com Deus…

Oração não é apenas um meio para comunicar com Deus e receber ajuda de Deus, é também um investimento eterno! O registro (de nossas orações) nos céus são adequadamente mantidos pelos anjos.

Nosso Deus não é injusto para esquecer seu trabalho e amor que você tem mostrado por Ele, ajudando outros (Heb 6:10).
Também Ele não é passível a se esquecer o seu sagrado e ardente desejo, sua intercessão e suas lágrimas. Orações egoístas se perderão, mas as tais não são verdadeiras orações. Nem orações feitas com as motivações erradas terão qualquer validade perante Deus (Tiago 4:3).
Intercessão pela salvação de outros, para a edificação da Igreja de Cristo, por reavivamento entre o povo de Deus e pela evangelização do mundo, todas partilham de caráter eterno… Tais orações não podem morrer até que sejam cumpridas de acordo com a santa vontade de Deus. Tais orações são eternos investimentos…

Orações feitas no Espírito nunca morrem até que elas sejam realizadas de acordo com o propósito planejado de Deus. Sua resposta pode não ser o que nós esperamos ou quando esperamos, mas Deus freqüentemente nos concede muito mais abundantemente além do que podemos pensar ou pedir. Orações sinceras nunca se perdem…

Orações feitas de acordo com a vontade de Deus nunca se perdem. Deus as preserva em Seu próprio registro e um dia elas serão respondidas. Ele recompensará inteiramente todos aqueles cujas orações ajudaram vencer batalhas espirituais e abriram portas para o trabalho de Deus (missionário) no mundo.

Extraído do Livro:

Touch the world through Prayer (Toque o mundo através da Oração) – Wesley L. Duewel – OM Books (Tradução Livre)

Índia, uma terra de desafios e oportunidades

“Qual a sua atitude diante dos Golias (desafios)?
– Muito grande para acertar. Ou como Davi?
– Muito grande para errar!”

Qual é a sua atitude diante dos desafios da evangelização mundial?

Ficar acomodado, acovardado, olhando apenas os desafios ou você vai tomar uma decisão, uma atitude para que os desafios sejam vencidos, as muralhas sejam postas por terra, o nome do Senhor seja engrandecido e muitas almas possam vir para Cristo?

Nós somos os responsáveis por esta geração, portanto não podemos ficar olhando os desafios, mas devemos prosseguir, ir em frente e os vencer em nome de Jesus! Missões é o mais ousado projeto de vida, mas também é o mais recompensador!

A recompensa é poder contemplar as almas, outrora tão longe e distante de Deus, vindo aos pés da Cruz.
Sempre podemos fazer algo mais pela obra missionária. Com certeza todos podem fazer uma coisa: orar mais pela obra missionária. Quero convidá-lo e incentivá-lo a continuar orando pela Índia.

Lembre-se que:

“A história da Índia será mudada, mas será através da pregação da Palavra de Deus e no poder do Espírito Santo e você, através da oração, é um instrumento que Deus quer usar para isto!”

do site:


http://www.orepelaindia.com

DE VASO PARA O BARRO

“Senhor, eu quero ser um vaso novo…”.

Esta é uma expressão que conhecemos nas congregações. Mas, que vaso novo é esse?
Sabemos que pode haver vaso novo bom e vaso novo ruim.Eis que temos direitos na escolha. O Espírito Santo nem começou revelar o mover de Deus aqui, e já podemos perceber a misericórdia chegando junto. Temos direitos na escolha. ALELUIA!
Faço-me vaso ruim porque me desvio da palavra de Deus… Ando de acordo com minhas idéias e vontades… Sou, às vezes, prepotente e soberbo… Penso que sou, mas posso não ser… Estufo o peito e digo que sei.
Mas o único que tem o direito de dizer que é, e diz, “EU SOU”, é o próprio Deus. Ex. 3:14.
Em seguida disse Jesus: “EU SOU o caminho, a verdade e a vida…”. Jo: 14: 6.
Dessa forma ficou bem claro que, como vaso, ainda não sou tão bom (a) assim. Preciso de consertos.

E o Espírito Santo diz que quer me mostrar algo em Provérbios 26: 23: “Como o vaso coberto de escória de prata, assim são os lábios ardentes com um coração maligno.

E Ele manda continuar em Provérbios 27: 2, “Louve-te o estranho, e não a tua boca; o estrangeiro, e não os teus lábios”.
Ele mostra que realmente preciso rever alguns conceitos. O que antes era suficiente, agora vejo que ainda nem começou.
Não que Deus queira que eu volte ao passado, na verdade Ele quer que eu seja recriado, ou seja, morrer para mim mesmo, para o meu eu, e nascer para Cristo, para o verdadeiro e único EU SOU.

Deus, tem misericórdia de mim, ensina-me; revela-me!
Eis que o vaso que somos, talvez não esteja ainda definido diante do Senhor e diante de nós mesmos.

Rm. 9: 21, “Ou não tem o oleiro poder sobre o barro, para da mesma massa fazer um vaso para honra e outro para desonra?”.

Rm. 9: 22, “E que direis se Deus querendo mostrar a sua ira, e dar a conhecer o seu poder, suportou com muita paciência os vasos da ira, preparados para a perdição, V23, a fim de que também desse a conhecer as riquezas da sua glória nos vasos de misericórdia, que para a glória já dantes preparou, os quais somos nós, a quem chamou, não só dentre os judeus, mas também dentre os gentios”? Revelado está que fomos chamados para a honra, e que o próprio Deus nos preparou para que sejam conhecidas em nós as riquezas da sua glória, e que sua misericórdia seja resplandecida em nossa vida sempre.

Não tendo dignidade para tanto, o poderoso Deus nos faz origem para nos fazer presentes aqui. Ele nos diz:

“Eis que levarei cada um de vós, do velho vaso ao barro, e se preciso for, os levarei do barro ao pó… E esse pó, como a menor parte, se ajuntará, formará um corpo, cheio da minha presença, neste corpo me caberá, e será corpo de luz… E em tempo hábil soprarei e darei vida. Este será moldado por minhas mãos. E o lançarei em vida para que vivas bem e me sirva. EU SOU o Senhor, e farei isto prontamente”. ALELUIA!…ALELUIA!…ALELUIA!

Eis-me aqui, Senhor! Leva-me para onde for da tua vontade… Eis-me aqui.

Impressionante foi que no momento que o Espírito Santo trouxe esta revelação, eu pude ver o quanto eu era nada misturado com nada e multiplicado por nada; o meu resultado era nada.
Quanto mais eu admitia que era um nada, mais o Senhor dizia que faria de mim algo.
“Senhor, vejo que não presto…”. Ele dizia que agora eu iria começar a prestar.
“Senhor, vejo que não valho nada…”. “Agora você vai valer”.
“Senhor, vejo que não sirvo mais…”. “Agora você vai me servir”.
“Senhor, quebra-me, faça-me novo…”. “Se quebrar, ficarão cacos grandes, por isso vou te derreter para que voltes ao barro e depois ao pó, pois só voltando ao pó, farei de ti, um verdadeiro VASO NOVO”.
Então, eis- me aqui, Senhor… Eis- me aqui.

E veio a palavra do Senhor no livro de Isaías 30: 14 dizendo: “Ele se quebrará como o vaso do oleiro, será despedaçado a ponto de não se achar entre os seus pedaços um que sirva para tomar fogo da lareira, ou tirar água da cisterna”.
Não posso dizer até quando estarei como barro, ou como pó, mas de uma coisa tenho certeza;- nas mãos do Senhor, entregue como criança, sempre serei um VASO NOVO.
E o Espírito Santo me leva agora para Jeremias 18: 2-6 e diz: “Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras.
E em uma visão celestial, pude ver de fato a casa do oleiro. V3: Desci à casa do oleiro e vi que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas. V4: Mas o vaso, que ele fazia de barro, se quebrou na sua mão; pelo que o oleiro tornou a fazer dele outro vaso, conforme bem lhe pareceu. V5: Então veio a mim a palavra do Senhor: V6: Não posso fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? Diz o senhor. Como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel”.

Agora vejo que tudo que Jesus Cristo nos pede, Ele quer que seja de dentro para fora, exceto o eu sou.
E me mostra que o EU SOU deve ser de fora para dentro, ou seja, Ele entrando em nós.
Assim como Jesus é o verbo, Ele é a própria palavra de Deus, e quando entra em nossa vida, traz junto toda a maravilha da palavra santa e é por isso que, como VASO NOVO, precisamos guardá-la sempre, assim como diz em Jeremias 32: 14: “Assim diz o Senhor dos Exércitos, o Deus de Israel: “Toma estas escrituras de compra, tanto a selada como a aberta, e mete-as num vaso de barro, para que se possa conservar muitos dias”.
E quando me vi apagado e em recuperação diante do Senhor, pude ouvir sua voz dizendo: “Eis que te quero ungido, com fartura de óleo para a tua própria luz. Esta luz será o meu Espírito que te conduzirá para a vida eterna onde fui e já preparei teu lugar para o meu louvor”.
E como se me tocasse, me levou ao livro de Zacarias 4: 1-6: “Tornou o anjo que falava comigo, e me despertou, como a um homem que é despertado do seu sono, V2: e me perguntou: O que vês? Respondi: Olho e vejo um castiçal todo de ouro, e um vaso de azeite em cima, com sete lâmpadas, e há sete canudos que se unem às lâmpadas que estão em cima dele. V3: junto a ele há duas oliveiras, uma à direita do vaso de azeite, e outra à sua esquerda. V4: Então perguntei ao anjo que falava comigo: Senhor meu, o que é isto? V5: Respondeu-me o anjo que falava comigo: Não sabes tu o que isto é? Eu disse: Não, Senhor meu. V6: Então ele me disse: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel: Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos”. Sinto que é dia de Deus na minha vida para que eu seja morto… Sinto que é dia de Deus na minha morte para que eu seja vivo.

Ainda que eu não possa saciar a sede de Jesus, ao menos por enquanto, quero servir para realizar as vontades dEle em minha vida. Para que não aconteça o tempo em que, sentindo sede, vindo beber em mim, Ele não encontre aquele vinagre que estava no vaso no momento de sua morte em João 19: 28-30.
Enquanto isso sigo meu tempo, na entrega constante ao Senhor, declarando que só o Senhor é Deus da minha vida, me lançando na olaria celestial, sendo por Ele levado do vaso para o barro, do barro para o pó, para que, quem sabe um dia, em nome de Jesus Cristo, meu Senhor, eu seja um belo VASO NOVO.

Seja abençoado (a) em nome de Jesus.

Direitos: Fábio Rodrigues

Nunca desista de seu Ministério ou seu Chamado.

Entrevista com Ralph W. Neighbour Jr. (Conceituado conferencista de Células, Grupos de convívio e Grupos Familiares para Igrejas)

Publicado em 26.11.2009

Questionados sobre as causas das desistências dos líderes para com seus ministérios, nos remetemos às mais diversas suposições. Indagamos sobre a convicção do chamado, sobre sua preparação para liderar, sobre o caráter e até mesmo sobre a luta espiritual travada entre o inimigo contra os crentes.

Para sairmos das especulações e conhecermos algumas das causas da desistência dos líderes é que entrevistamos um dos pastores de pastores mais conceituados e reconhecidos. Ele responde levando em conta sua vasta experiência no treinamento de liderança e seus contatos com pastores do mundo todo.

Dr. Raph Neighbour Jr. é graduado em Artes, pelo Northwestern College, com mestrado em Teologia, pelo New Orleans Baptist Theological Seminary, doutorado em Ministério, pelo Luther Rice Theological Seminary e doutorado em Teologia Sagrada, pela Southwestern Baptist University. É autor de muitos livros e manuais de capacitação associados ao movimento Igreja em Células. Há 43 anos tem se envolvido com pastores ao redor do mundo como consultor. Atualmente é professor adjunto no Seminário Teológico Batista de Golden Gate e dirige o programa de Doutorado em Ministério desta instituição.

O senhor tem viajado para muitos países diferentes por um longo tempo. Que tipo de características ou quais fatores o irmão achou comum nos pastores que desejam desistir do ministério nesses países?

Ralph – A desistência do ministério tem origem nas mais diversas causas. Uma das mais comuns é o desânimo dos pastores frente às congregações que têm uma mentalidade consumista e que esperam do pastor o suprimento de todas as suas demandas egoístas enquanto se negam a participar ativamente do ministério. Esta também é a razão pela qual os pastores migram de igreja para igreja em algumas denominações, permanecendo numa média de 2 a 3 anos antes de partirem de novo.

As demandas sobre um pastor de uma pequena congregação são imensas. Eles precisam desempenhar vários papéis: professor, orador, organizador, captador de recursos, conselheiro, e acima de tudo ser um bom político, para que agrade àqueles membros da igreja que são formadores de opinião. Um psiquiatra que trata de pastores com esgotamento disse que em uma semana típica de trabalho a carga horária é de 70 horas. Geralmente, os salários são tão pequenos que as férias anuais não são possíveis e por isso também os filhos são privados de coisas que outros da mesma idade podem usufruir. As esposas também acabam ficando estressadas por terem que adicionar na sua rotina de mãe e dona de casa, outras atividades da igreja.

O senhor teria alguma estatística, tanto sobre os que desistem quanto os que retornam ao ministério?

Ralph – Sunscape Ministries, localizado no Colorado, é uma organização que tem servido aos pastores americanos em crise e tem informações de que 1.600 pastores desistem ou são forçados a abdicar do púlpito por mês, isto considerando todas as denominações ao redor do mundo. Destes, poucos retornam ao ministério.

Observamos uma tendência em muitas igrejas de “espiritualizar” todos os problemas. O senhor diria que isto também acontece quando falamos de desistência de ministério? Ou seria o inimigo o maior responsável por isso?

Ralph – Creio que é óbvio que os pastores estão envolvidos em uma guerra espiritual, não é? Apesar disto, muitos estão servindo de forma que aparenta não dar conta das artimanhas do inimigo. Muitos seminários teológicos chegam a boicotar a crença individual na pessoa do inimigo (isto aconteceu comigo!) e o fato de tratar do demoníaco é tido como radical. Mas, sim, Satanás fará todo mal possível para destruir um pastor. Pode ser através de um apelo à luxúria. O desejo do pastor de ser importante, a ganância por riquezas, e acima disto tudo, a sede de poder e de controle. Muitos ministros estão espiritualmente falidos. Recentemente, fizemos uma pesquisa com 500 pastores evangélicos nos Estados Unidos e levantamos que eles gastam, em média, somente 7 minutos por dia em oração. Trabalhar para o Senhor na força do braço é certeza de esgotamento! Muitos pastores não experimentam estilos de vida santificados e nem tem uma paixão interna por ver vidas optando por seguir a Cristo.

Haveria uma maneira pessoal através da qual os próprios pastores podem se prevenir de desistir?

Ralph – Com certeza! Em primeiríssimo lugar, eles devem ter uma poderosa vida de oração. Um mínimo de 1 hora por dia. Em segundo lugar, eles devem procurar viver em uma comunidade verdadeira e não se comportarem como ermitões. Tanto nos Estados Unidos quando na Austrália, vi os números de desistência pastoral caírem somente pelo fato de pastores se reunirem semanalmente por 1 ou 2 horas ao invés de terem encontros mais longos a cada 4 meses. No Estado de Illinois, a formação de células para pastores teve um impacto na taxa de desistência dos pastores batistas.

O senhor está casado há quase 6 décadas. O que poderia dizer sobre a importância da sua esposa e o papel que ela tem desempenhado em não deixar que o senhor desista do ministério?

Ralph – Do alto dos meus 57 anos de casamento posso testificar que dividir minha vida com a Ruth foi um dos maiores presentes que Deus me deu para que eu não desistisse. Tenho enfrentado muita rejeição ao longo dos anos, já que Deus me deu direção ministerial para atuar no sentido de ser agente de mudança dentro das denominações tradicionais. Seu compromisso constante com nosso chamado mútuo tem me mantido nos trilhos. Ao mesmo tempo, tenho conversado com muitos pastores que tem que, literalmente, carregar suas esposas nas costas como um fardo, já que se recusam a compartilhar seu chamado e visão. Sofro por eles!

Já pensou em desistir em algum momento? Por que? Poderia nos dar detalhes sobre como superou esta fase?

Ralph – Sim. Houve um momento quando eu deixei minha denominação, aos 36 anos, para procurar um modelo do novo testamento para a igreja. Fui rejeitado e considerado por praticamente todas as pessoas acima de mim como um radical. Uma vez escrevi que se tivesse morrido naquele momento, não haveria sequer um colega pastor disposto a falar no meu funeral! Ser um agente de mudança foi muito dolorido! Lembro-me das palavras de Paulo em At 20.24 “Mas em nada tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do evangelho da graça de Deus”. Quando um homem tem uma visão, ele corre o risco de desistir. Mas quando a visão tem o homem, não há retorno, não importam as circunstâncias. Desde quando tinha 34 anos e até agora aos 80, tenho me alegrado no chamado do Mestre, e as circunstâncias nunca ofuscaram este chamado.

O que as igrejas podem fazer para ajudar os pastores e minimizar os fatores que provocam desistências?

Ralph – Estou convencido de que a desistência do atual modelo tradicional de ser igreja e a transição para Comunidades Cristãs de Base (ou grupos de células) proporciona uma mudança radical no estilo de vida do pastor. Ele não tem mais que ser tudo para todos os membros. Ele consegue reorganizar sua vida de forma significativa uma vez que aprende a servir como um treinador de outros que farão o verdadeiro trabalho ministerial.

Que conselho pessoal o senhor daria para os pastores que estão se sentindo cansados e esgotados?

Ralph – Antes de desistir, considere o fato de que você ainda não chegou ao estágio final do seu ministério. Ser o dono de uma visão vai “acabar” com você. Ser possuído por uma visão lhe dará uma alegria contagiante uma vez que você será carregado pelo Cristo que vive dentro de você, dando-lhe poder e fluindo por seu intermédio! Leia sobre as vidas daqueles homens que chegaram ao estágio de serem possuídos por uma visão, começando com Paulo. O Cristo que habita em você é o grande segredo. O pastor que vive nEle nunca fica esgotado, muito pelo contrário, ele se torna uma fonte que está sempre fluindo a partir de águas profundas. Não há esgotamento quando o fogo dentro de nós é puro Shekinah!

Reprodução autorizada desde que mantida a integridade dos textos, mencionado a fonte como: http://www.institutojetro.com e comunicada sua utilização através do e-mail artigos@institutojetro.com.

Comunidade Adoremos – Cd Preciso Te Conhecer.

COMUNIDADE ADOREMOS

A Comunidade Adoremos, na Pessoa do tão querido Pr. Carlinhos Nunes lança cd evangelístico entitulado ” Preciso Te Conhecer”.

Este é o primeiro trabalho de vários outros que virão e que visa expandir o Reino de Deus através da Palavra cantada.

Neste trabalho há também participação de Tiago e Rosália Nunes do Ministério Ouvir e Crer em Goiânia onde ela com sua belíssima voz conduz a canção ” O que seria de mim”.

” É possível que como geração, estejamos vivendo e escrevendo como nossa obediência, paixão e serviço, certamente um dos mais emocionantes capítulos desta história”, diz Carlinhos, ” pois está perto o dia em que Cristo Jesus voltará, cumprindo assim sua promessa feita em Jo. 14:3″, enfatiza o Pastor.

A Adoremos, uma das comunidades evangélicas que mais cresce em Belém devido afabilidade e carinho de seus membros e líderes vem mostrando que é possível andarmos na Luz e em unidade sem se auto propagar ou ainda esquecer da essência que rege e conduz a vida cristã.

Com cultos animados durante a semana e com ministração da palavra de maneira simples e objetiva, e ainda, uma reunião para lá de animada específica para Jovens e adolescentes, aos sábados, é hoje a grande pedida em Icoaraci para quem está sempre faminto da presença de Deus e ainda quer conhecer e fazer amigos ou ter uma família.

” O Espírito Santo está renovando nossas forças nos fazendo subir com asas como águias, correr e não cansar, caminhar e não fatigar, para que o poder do evangelho alcance toda a terra”, conclui, Nunes.

A Comunidade Adoremos fica na 7ª Rua de Icoaraci com Augusto Montenegro bem de esquina. Fone: 91 3227-2518 ou 91 9190-7071.

Adquira seu CD hoje pelo E-mail: carlinhosadoremos@hotmail.com

Ou na própria Comunidade.

Voltados Para Ti em Macapa/AP

Twitter sem capacidade!!! Twitter is over Capacity!!!

TWITTER IS OVER CAPACITY – ESTÁ ACIMA DA CAPACIDADE!

“Twitter, se não dá conta, entrega o cargo pra outro fazer! Desse jeito não dá! “

Indignado!

Há meses o Twitter vem apresentando esse problema que já não é comum. Fica sobrecarregado e passa a imprensão que não dá conta do recado. Talvez, na espera de um outro concorrente que o possa enfrentar com os mesmos serviços que presta, mas de melhor qualidade, venha forçar o Twitter a trabalhar direito.

Como somos brasileiros e não desistimos nunca, porém sempre mudamos para algo melhor. Fica aí a idéia!

Aff! Só no Brasil isso!

Brasil perde de virada para Holanda e é eliminado da Copa de 2010

Depois de começar bem a partida, o Brasil levou a virada da Holanda, perdeu por 2 a 1, nesta sexta-feira, no estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth, e foi eliminado nas quartas de final da Copa do Mundo-2010.



O time de Dunga começou bem a partida, abriu 1 a 0 e poderia ter feito mais gols no primeiro tempo. Mas se apavorou, levou a virada, perdeu a cabeça com Felipe Melo expulso. Este cartão vermelho fez o país pentacampeão ser o recordista em expulsões em Copas do Mundo, com 13 vermelhos, um a mais do que a Argentina.



A equipe brasileira levou os gols da virada naquela que é uma de suas especialidades, a jogada aérea, após cruzamentos na área.

O Brasil volta a ser eliminado na mesma etapa que na Copa passada, quando perdeu também nas quartas de final, ao cair para a França, por 1 a 0.

Agora, a Holanda encara nas semifinais o vencedor do duelo entre Uruguai x Gana, que jogam nesta sexta-feira às 15h30 (horário de Brasília).



O duelo de hoje foi uma reedição de outros três encontros em Copas do Mundo. Em 74, os holandeses venceram por 2 a 0 nas semifinais. Em 94, deu Brasil 3 a 2 nas quartas de final. Quatro anos depois, o time brasileiro avançou na disputa de pênaltis após empate por 1 a 1 no tempo regulamentar e prorrogação.

O jogo


A partida começou com clima quente e os jogadores com ânimos exaltados. Logo nos primeiros minutos, Daniel Alves e Felipe Melo deram entradas duras que geraram reclamações dos holandeses. Robinho chegou a empurrar o rosto de um jogador holandês em uma discussão mais forte.

Menos nervoso com a bola nos pés, o Brasil era melhor. O time de Dunga chegou a abrir o placar aos 7min, com gol de Robinho. Mas o lance estava parado ao ser assinalado correto impedimento de Daniel Alves, que de arrancada que originou o gol.

Mas, apenas dois minutos depois, Robinho fez o gol que valeu. Felipe Melo conduziu a bola sozinho no meio, viu Robinho entrar livre e deu lançamento para o camisa 11 brasileiro, que tocou de primeira tirando do goleiro: 1 a 0. A Holanda respondeu e deu sua primeira boa chegada no jogo um minto depois, com chute de Kuyt defendido por Julio César.
Mas a equipe brasileira passou a usar de sua arma mais poderosa, o contra-ataque. Aos 24min, Kaká arrancou e foi derrubado na área por De Jong, mas o árbitro mandou seguir. Na cobrança do escanteio, Daniel Alves cruzou e Juan chutou livre, mas a bola passou por cima.


Pouco tempo depois, aos 30min, o ataque brasileiro o fez linda trama na mais bela jogada da partida. Robinho driblou dois marcadores na esquerda, tocou para Luis Fabiano, que saiu da bola e deixou a para Kaká. O meia chutou de fora e obrigou o goleiro Stekelenburg a fazer grande defesa.

No segundo tempo, o time brasileiro voltou disperso e tomou o gol. Aos 10min, após cruzamento de Sneijder, Julio César saiu mal, a bola desviou em Felipe Melo e entrou. Empate holandês.


O Brasil sentiu o golpe e acabou levando a virada novamente naquilo que é um de seus pontos fortes, a jogada aérea. Aos 22min, após cruzamento, Kuyt desviou, Sneijder se livrou da marcação de Felipe Melo e tocou para os fundo das redes.


Para piorar, aos 28min, Felipe Melo fez o que todos temiam dele na Copa do Mundo: foi expulso após agredir Sneijder quando esteve estava no chão.



Depois disso, o time continuou perdido e chegou até a assustar levemente só em algumas jogadas aéreas.



(Folha Online)

Aprenda a dar Unfollow em massa no Twitter !!!

Tutorial: Unfollow em massa no Twitter !!!





Já que a nossa velha ferramenta Tweepular devido aqueles bugs indesejados está fora do ar por tempo indeterminado, encontrei um serviço ainda mais fácil e em português para dar unfollow em massa no Twitter.

Trata-se do TrTools, ferramenta brasileira de facílimo uso, bastante intuitiva e muito mais rápida que a já postada neste blogue. Sendo assim, segue um breve tutorial para mandar para o espaço aqueles chatos do microblog mais famoso do mundo, e o melhor, todos de uma só vez!

Tutorial: Faça Unfollow em massa no Twitter.

1. Acesse o site http://www.trtools.com.br/unfollow/.

2. Digite seu usuário do Twitter no campo indicado, ao lado de “Digite seu twitter”(óbvio né!?).



3. Você verá a lista de usuários que não te seguem na rede, se quiser excluir todos, não desmarque nenhuma caixa de seleção, caso contrário, marque apenas aqueles que você deseja não mais seguir.



Então, insira seu usuário e senha do Twitter nos campos indicados, e clique no botão “unfollow em todos selecionados”.



Pronto, unfollow em massa no Twitter mais fácil e em português. Sou um pouco encucado com esses serviços, mesmo sendo altamente confiáveis. Use a ferramenta e depois troque sua senha do Twitter. Não me responsabilizo por qualquer dano a sua conta, pois utilizar ou não é por sua conta e risco, eu uso e recomendo!

David Quinlan fala sobre saída de Músicos do Ministério PFG

Após muitas especulações e boatos foi oficializado nessa semana o rompimento dos, até então inseparáveis, músicos que acompanhavam o cantor e compositor David Quinlan em seu ministério musical chamado Paixão, Fogo e Glória. A separação não foi pacífica e os lados ainda divergem sobre os porque e declarações.


O Paixão, Fogo e Glória era composto por, além do líder e fundador David Quilnan, o baterista Samuel, o guitarrista Roger, o tecladista Dan e o baixista André, agora David procura novos músicos para integrar o ministério com ele e viajar pelo país e o mundo com o PFG.


Confira, nas palavras do próprio David Quinlan, o que e como aconteceu esse rompimento entre os músicos:

Tudo que está acontecendo é resultado de uma decisão tomada por eles, eles não foram forçados a nada, muito pelo contrário, se fosse por mim tocaríamos juntos até os sessenta, setenta… (vide encarte do CD Liberdade)

A história começa há mais de um ano atrás quando em um determinado vôo pelo Brasil afora, o Samuel (baterista), levanta-se do seu assento, próximo de onde estavam os outros músicos, e se aproxima de mim com a seguinte proposta: “David, o que você pensa da gente (músicos) chamar um outro vocalista e montar uma banda paralela?”. Eu disse: “Não. Este tipo de coisa não funciona – (depois explico).” Ele, então, mudou de assunto e depois voltou para o lugar de onde tinha vindo e ninguém mais mencionou este assunto… comigo.

Alguns meses atrás, após um fim de semana de ministração incrível, uma pessoa do meu escritório me ligou e me direcionou a um site na internet onde se encontravam algumas fotos profissionais com nome e tudo de um novo “ministério” (que depois virou banda) com quatro músicos e um vocalista. Fiquei chocado ao ver que os músicos eram os mesmos que eu tinha em meu ministério. Imagine descobrir algo assim pela internet, especialmente depois da conversa que eu havia tido com o Samuel. O vocalista da banda Khorus (esta banda não tem nada a ver com este assunto – que Deus continue os abençoando) foi trazido do estado do Espírito Santo para estas fotos profissionais serem tiradas em algum ponto de BH, ou seja, acontecimento bem premeditado. Já tinha até mesmo um site (em construção) disponível na internet, fora uma comunidade no Orkut com algumas centenas de membros, ou seja, havia tempo que isto estava acontecendo. Com o passar do tempo até eu recebi em minha caixa de email pessoal links de terceiros para conhecer esta nova banda; diziam:
“Agora é oficial! Com um estilo novo… a banda FREEDOM já cumpre agenda em vários estados brasileiros… Os ex-integrantes do PFG deixaram o ministério apoiados pelo próprio Pr. David Quinlan, que os abençoou e apoiou na nova fase. Aguardem CD em breve…” (email e site de onde esta matéria foi extraída estão arquivados e à disposição).
Imagine o choque! Apoiei e nem sabia.
Boquiaberto, convoquei uma reunião para tentar descobrir o que estava acontecendo. Na ocasião eles me contaram do sonho que possuíam de montar uma banda de rock para tocar músicas mais pesadas.
Sonhar é bom e eu sempre incentivei, mas espera um pouco, se for sonhar e se for capaz, sonhe em montar uma banda do zero e não tomar a minha!!! Não consigo acreditar que numa certa manhã todos acordaram na mesma hora com o mesmo desejo: “Vou montar uma banda de rock pesado”. Eu investi anos da minha vida nestes músicos, os honrei por toda a nação brasileira e também no exterior, financeiramente falando, ofereci o melhor para todos eles (caso não acredite, pergunte a eles o que fizemos por cada um da próxima vez que os encontrar ou escreva perguntando…). Tudo que sempre foi negociado e acordado por ambas as partes foi feito! Mesmo quando faltavam recursos, tirávamos (Bebel e eu) do próprio bolso para dar para eles, tamanha era a importância deles como amigos e parte do ministério; faço isto por qualquer um que esteja comigo. Eu os incentivava e muitos sabem que sempre participavam de muitas produções paralelas. Davam aulas, faziam workshops, vendiam milhas de vôos feitas em função de convites recebidos pelo ministério, acredite, mensalmente, ganhavam bem. Eu sei, que em momento algum reclamaram em sua nota a respeito desta situação, mas em função disto tudo eu esperava um pouco mais de consideração. Apesar deles mesmos colocarem em sua nota que “eram meus funcionários”, eu nunca os vi assim, e sempre os tratei como família.
Em minha opinião, em função de tudo o que fiz e do amor que sempre demonstrei a eles, o mentor deste projeto (ninguém admitiu ser este mentor), caso estivesse insatisfeito com a situação atual ou ministerial, ou se porventura tivesse grandes sonhos para o seu futuro próprio, deveria ter saído do ministério de uma forma honrosa e deixar os demais membros da minha equipe em paz, só que, em vez de fazer isto, minou os demais com idéias, possibilidades, insatisfações e agora queria levar a banda completa. Perder um músico/amigo é difícil, agora perder os quatro de uma só vez…
Durante nossa primeira reunião o Roger e o Dan disseram que o Samuel não tinha informado a eles a respeito da nossa conversa no avião, contudo, o André admitiu ter ouvido esta história do Samuel – inclusive disse que o seu próprio pai (um pastor renomado e abençoado de BH, um homem de Deus que aprendemos a admirar e que nos recebeu maravilhosamente bem quando fomos ministramos em sua igreja) havia sabiamente lhe orientado que era importante me informarem do que estavam fazendo – isto não aconteceu. Samuel também me disse que sempre encorajava os demais rapazes a me informar a respeito de seus planos – isto também nunca aconteceu.
Após a reunião, dei alguns dias (mais de 30) para que pudessem conversar e chegar a um consenso quanto a ficar comigo ou seguir os seus sonhos, ou seja, dentro ou fora. Na primeira reunião eu havia dito que tinha que ser um ou outro. A escolha seria deles. Por que? A gente viaja muito, você sabe disto internauta, sem contar o tempo que cada um tem que dar aos assuntos e situações pessoais – tipo família… Em função disto tudo eles não teriam como honrar os dois compromissos, ou seja, ministério e banda sem falar na família, filho, vida pessoal, outros compromissos…
Mediante a graça de Deus temos recebido muitos convites para ministrar ao redor do Brasil e fora também, sendo que às vezes alguns convites chegam com poucos dias de antecedência, ou seja, mais cedo ou mais tarde haveria conflito de agenda, isto era inevitável. Não daria certo. Não haveria como conciliar todas as responsabilidades, e acredite, eu acabaria sendo pressionado… Para mim não dava, tinha que ser um ou o outro! Deixei isto bem claro.
Após o período estipulado para que eles decidissem, marcamos uma segunda reunião. A princípio a conversa foi bastante light, tudo parecia bem, daí então, o Samuel me disse que eles queriam seguir os seus “próprios” sonhos e dar continuidade ao que tinham iniciado. Fiquei triste, confesso, não esperava por isto, mas tudo bem, tomaram a decisão que queriam e daí para frente estariam fora. Opção deles!
Daí então, expuseram o desejo de serem demitidos por mim para poder receber os direitos que vem com a demissão. Embora este assunto não tivesse sido abordado por mim na reunião anterior (atestado pelo próprio Roger), um dos outros integrantes entendeu que caso quisessem sair, eu os demitiria. Demitir??? O meu desejo pessoal era que ficássemos velhos juntos, jamais desejaria que isto acontecesse. O sonho que eles estavam perseguindo não me incluía, contudo, não iria mentir para mim mesmo e muito menos para o governo demitindo-os, afirmando que este era o meu desejo; não era minha e sim uma escolha pessoal deles. Estava disposto a dar tudo, todos os direitos que possuíam, menos mentir. Com o passar do tempo, em função de tudo que já fiz por eles, teria dado e feito até mais…
Pedi para que tocassem comigo até o final do ano para que eu pudesse montar e treinar uma outra equipe – concordaram. Confesso, que daí para frente não foi fácil pra mim, havia um turbilhão de pensamentos que enchiam minha cabeça; “por que?”, “onde errei?”… Viajamos para Curitiba onde ministramos, repito, não foi fácil.
Nota: o texto sublinhado a seguir se refere e foi extraído da nota de esclarecimento que publicaram em seus sites e orkut’s próprios.
Daqui pra frente a situação se complica. Segundo a nota publicada por eles: “Não existe processo contra ele (David) movido por nenhum de nós quatro (Roger Franco, Dan Marinho, André Davila e Samuel de Oliveira).” Talvez oficialmente falando realmente não exista – não entendo muito desta aérea, mas existe um advogado que se diz representar os quatro ligando para o nosso escritório e agora para o nosso advogado nos acusando de um monte de coisas e pedindo altos valores como indenização para os quatro. Estranho não? Queria expor valores para você ver que a nossa luta realmente não é contra carne ou sangue, mas fui orientado contra. Contudo, enfatizo, eu sempre fiz tudo que foi negociado e acordado por nós, sempre fui transparente. Negociado – Acordado – Feito e ponto final. Por que isto? Onde está a honra de um cristão que quer “sonhar, crescer, e espalhar a palavra de Deus para quem realmente necessita dela”? Não dá para entender e para ser sincero, iniciar uma banda assim com “meias” verdades em “nome de Deus” não é correto; não é isto que a Bíblia ensina.
Após este contato feito pelo advogado deles, (repito, apesar de termos o advogado do Ministério, quem ligou para o escritório foi o advogado dos músicos e depois este já esteve presente na sede do escritório do nosso advogado abordando o que os músicos querem) ficou inviável viajar e ministrar com eles. Não sei quanto a você leitor, mas eu não consigo ser hipócrita… Ministrar como se estivesse tudo bem? Falar sobre paixão e alegria com o coração pesaroso em função de um – nem sei como chamar – “processo, ação, demanda, oferta?” sendo movida por pessoas que estão atrás de você no palco ou na plataforma tocando contigo? Pra mim não dá. Disseram em sua nota que “estavam á minha disposição”. Assim não, desse jeito não…
Após este contato, as acusações e a “petição” por dinheiro as coisas mudaram. Tive que montar uma equipe provisória às pressas – já passei por três nas últimas três semanas – para poder cumprir a minha agenda; imagine o trabalho que isto tem gerado. Tirei as fotos deles da página inicial do meu site e também da página dos integrantes, primeiro por não condizer com a equipe provisória (alguns ainda são provisórios) que está me acompanhando hoje e principalmente para preservar a imagem de todos.
Agora, dizer que “descobriram que não eram mais integrantes pelo site” é forçar a barra! “Comigo ou sem…migo”; “dentro ou fora”; “PFG ou os seus sonhos” foram as minhas palavras; eles optaram por sair, seguir os seus sonhos – foram duas opções, não três! Perguntei a cada um e todos estavam de comum acordo – “Vamos continuar com a nossa banda” disseram. Eu entendi assim: “David, escolhemos a opção dois: estamos fora”. Segundo a postura deles, eles estão insinuando que sairão só se eu os demitir. Você acha esta ação correta? Eu não. É atitude de quem apenas deseja servir o reino de Deus com o seu dom? Creio que não. E como trabalhar com alguém que possui esta mentalidade? Dentro ou fora, não tem entrelinhas; é difícil de entender? Aparentemente, sim.
“Estamos sem receber o salário de novembro (mês trabalhado) e ponto final”. Uma vez que contrataram um advogado para fazer ponte entre eles e nós fizemos o mesmo. Antes do advogado deles entrar em cena tínhamos acabado de pagar uma parte do décimo terceiro (você conhece muitos músicos que ganham o décimo terceiro…, férias? Pois é…). Teríamos pago o salário também, mas agora estamos agindo segundo as orientações do nosso advogado, bem como eles.
Como disse no início, não queria chegar a este ponto, mas já que disseram em sua nota: “Até aqui esta é a única verdade”, preciso confrontá-los e expor a verdade segundo tudo que me foi possível fazer por eles diante de Deus e dos homens e deixar bem claro que tenho todo o material acima mencionado como fotos, sites, orkut, flyers promocionais, testemunhas e “pedidos” do advogado que os representa arquivados e à disposição.
Sei que não deve estar sendo fácil para eles, mas acredite para nós muito menos, e nada justifica o que estão fazendo. Poderia ter sido diferente. Eu gostaria que tivesse sido diferente, mas não foi e não por minha opção.
Enfim, agradeço o apoio de amigos, pastores, ministros, produtores e músicos que estão ligando de vários estados do Brasil todos os dias para nos oferecer apoio, oração e muito mais… É nesta hora que descobrimos os verdadeiros amigos.
Enfim, graças a Deus por Jesus – o Reino de Deus está acima destas coisas – creia!
A situação será resolvida…
Continuamos a jornada para honra e glória do Único que é digno – JESUS!
A aventura continua… e que aventura…
Obrigado pela sua paciência,
Sinceramente,
David M. Quinlan

 
Fontes:
http://musica.gospelmais.com.br/
http://www.voltados.com/noticias.html

%d blogueiros gostam disto: